Translate

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Reveillon - Fraldas Tena

Oi, bebês! Que bom ver vocês poraki! Reveillon! Então meu bebê e eu resolvemos tirar uma foto comemorativa de boas festas! Sei que muita gente não gosta de ver dois marmanjos de fralda, mas mesmo assim.. Já que o blog é meu, eu posso né? KKKK!  Que calor que tá aki! Ficar só de fraldinhas é bem totoso, menos quando o xixi esquenta. :P
Cobrí o rosto do meu baby porque neste blog eu não gosto de exibir meu namorado abertamente. Estamos passando quase 2 semanas juntos... Cada dia acordando do lado dele me faz a pessoa mais feliz do planeta universo. Eu o amo! ^_^


AAhhhh!! Quase me esqueço! Graças ao meu fantástico amigo Baby_Lukas, pude usar fraldas TENA! Realmente... Elas absorvem feito esponjas! Confortáveis de usar e encaixam muito bem! Hoje minhas três marcas, por ordem de preferência, são: Tena, Plenitud Noturna e Bigfral Noturna.
Na foto, meu namorado e eu estamos de Natural Master. Não são Tenas.


segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Merry Christmas !

Mais um natal que chega! Nós sonhamos, demos risada, choramos, fizemos amigos! Este tubarão deseja a todos os amiguinhos e amiguinhas um feliz natal! Com tudo de bom, brinquedos lindinhos e fraldas sempre secas!




sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

[Video] Cuidando da bebezinha - BDSM


Eu sei que eu disse que o blog ia entrar em hiato, mas ainda é sexta, estou entediado, carente e sozinho.. O mundo não explodiu.. Não ví nenhum zumbí nas ruas... (Bawwwwwww! Snif..).
Mas coisas boas estão vindo.. heHHEhEhehehEe








De presente vai um vídeo bem bondagístico e fofinho pra vocês!
video
Adorei essa fralda. Tão grossa, e com desenhinhos! Pena que... o vídeo é mais fofinho do que hardcore. A amarração não está boa, as atrizes não são boas. Mas vale pelo potencial do cenário. Eu precisaria de um berço de aço. Se me amarrassem nesse do vídeo, eu quebraria com uma puxada. XD


quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

[Conto] Preso com fraldas - (Completo)

Oi, bebês! Eu sei que muitos de vocês tem paixão por contos, correto? Eu mesmo acho meio sem-gracentos, pois prefiro a coisa real. Pooooorém, para deixar os meus babies felizes (Sim! Eu gosto de vocês), espero que gostem!
Aproveitando: O blog vai entrar em 'hiato', por tempo indeterminado. Vocês entendem, né? Natal e festas em geral. Mas eu volto! Garanto. :)

Lá vai:


Minha mamãe era enfermeira, e ela soube que o hospital onde ela trabalhava pagaria extra pelo turno noturno. Era uma razão muito boa pra ela trocar, e tinha a vantagem que não ia mais ter que pagar uma babá pra ficar comigo na parte da tarde. 
Ela sabia que haviam muitas camas extras na ala da pediatria, então por que não me levar pro trabalho junto com ela e então me deixar dormir no hospital mesmo? A chefe dela e as colegas concordaram, e eu também. Eu tinha só nove anos, e ainda tinha um pouco de medo de hospitais por causa de coisas que eu tinha visto na TV. Pensei que seria interessante, e eu estava certo. De uma maneira que eu nunca teria imaginado...
Mesmo tendo só nove anos, eu já havia descoberto que gostava de ficar indefeso. Sempre que minha turma brincava de amarrar, eu era o primeiro a se oferecer como vítima. Havia alguma coisa poderosa sobre ser incapaz de se mover. Eu ainda era muito jovem pra pensar nisso de uma maneira sexual, mas mesmo assim eu gostava muito de brincar.
A primeira noite no hospital foi muito excitante! Mamãe me ajudou a fazer a mala com algumas roupas e pijamas. Eu iria a pé do hospital para a escola no dia seguinte, e traria a lição de casa comigo. Chegamos lá poucos minutos antes do turno de mamãe começar, às 7 horas da noite. Ela me mostrou onde eu iria dormir, foi quando tive minha primeira surpresa da noite: Minha “cama” era um berço da pediatria, completo com grades de ferro e um colchão coberto com uma manta de borracha.
Pensando que eu ficaria com medo da cama, mamãe começou a pedir desculpas, dizendo que ela ia arrumar tudo direitinho e eu não ia precisar dormir com o berço fechado. Mas como eu poderia dizer à ela que eu estava entusiasmado? Passei a hora seguinte fazendo minha lição de casa, numa mesa na sala das enfermeiras. Foi quando mamãe me levou até a "sala do dia”, para conhecer outras crianças que estavam em tratamento no hospital.
A maioria delas ficou feliz por ter alguém novo pra brincar. Percebí na hora que pelo menos metade delas usavam fraldas e calças plásticas por baixo das roupas do hospital e pijamas. Eu me sentí estranhamente atraído por essas crianças, mesmo nunca tendo pensado muito em fraldas. É que... essas crianças, todas já eram muito velhas pra usar fraldas pelo motivo habitual. Parecia que elas estavam sob algum tipo de controle e AQUILO me atraiu.
Lá pelas 9 horas da noite todos seguiram em direção à enfermaria. Ví criança após criança parar numa mesa de trocas para terem suas fraldas verificadas. Se as fraldas estivessem muito ensopadas ou sujas, então novas eram vestidas. Até aquele momento, quem ainda não havia usado fraldas durante o dia também precisava colocá-las, cobertas por uma grossa e brilhante calça plástica.
Logo, eu era a única criança que não estava de fraldas. Ninguem pareceu ligar pra isso, então fui pro meu berço. Me sentí estranho por ter sido tratado diferente. Quando todos estávamos na cama, as enfermeiras vieram e fecharam as grades dos berços. A batida das barras de metal soou como uma sinfonia pra mim. Assistí enquanto os jovens rostos, um a um, desapareciam por trás das barras de cromo brilhante.
Eu secretamente queria ser tratado como as outras crianças, mas eu não sabia como pedir. Quem poderia acreditar que eu queria que fizessem aquilo comigo? Conforme eu subia na cama, mamãe me garantiu que eu não teria que usar fraldas ou ter o meu berço trancado. O exato oposto do que eu queria! Eu sorrí e ela me deu um beijo de boa noite. Conforme eu escutava os meus coleguinhas de quarto se mexendo e se aninhando eu comecei a imaginar como seria a sensação de ficar num desses berços fechados, usando fraldas grossas e vestindo uma brilhante calça plástica.
Peguei no sono torcendo pra que de alguma forma isso pudesse acontecer. Pois eu não precisei esperar muito. Novidades me aguardavam.  Assim que eu acordei, havia uma mulher mais velha, usando uniforme de enfermeira, de pé em frente ao meu berço. Mamãe estava do lado dela e elas estavam falando sobre mim. "Não há problema dele dormir num dos berços vazios", disse baixinho a mulher, "mas temos que respeitar os regulamentos de segurança. Se deixarmos o seu filho dormir com o berço aberto, podemos acabar encorajando as outras crianças a também querer dormir do mesmo jeito. Eu insisto para que fechemos o berço dele também."
Houve uma pausa, então ela disse algo que jamais esquecerei: "Claro que você não vai poder ficar vindo aqui toda vez que ele precisar ir ao banheiro. Faça ele usar fraldas noturnas mais grossas e deixe bem claro que não importa o quanto ele te chame, ele não poderá sair de forma alguma." "Sim senhora", mamãe respondeu.
Eu quase gritei de alegria. Segundos depois mamãe retornou, gentilmente me acordando. "Desculpe, Jamie, mas a enfermeira-chefe insiste que o seu berço seja trancado, o que significa que você vai ter que usar fraldas à noite. Eu sei que não é muito legal, mas ninguém além das pessoas aqui no hospital vão ficar sabendo." Eu fingí que ainda estava meio dormindo enquanto ela puxava as calças do meu pijama e colocou uma grossa fralda de pano por baixo do meu bumbum.
Era tão macio e quentinho. Ela prendeu apertado, nas coxas e cintura. Sentí como se estivesse embrulhado  em algodão macio e quente. Quase gemí de prazer. Ainda fingindo que dormía, fiquei mole enquanto mamãe deslizava um par de calças-plásticas por minhas pernas e sobre as fraldas. Conforme ela as ajeitou, sentí um arrepio passar pelo meu corpo. Era o paraíso.
Ela levou as calças do meu pijama e então levantou a lateral do berço. Dois "claques" metálicos anunciavam que, assim como todas as outras crianças no quarto, eu iria passar a noite trancado. Se eu precisasse ir ao banheiro, as fraldas eram minha única opção. Pensei como eu era sortudo. Lá pelas 4 ou 5 da manhã eu acordei de bexiga cheia. Se estivesse em casa, tudo o que eu teria que fazer é andar até o fim do corredor até o banheiro, e depois voltar pra cama.
Foi quando me dei conta da minha situação. Eu tinha mesmo que fazer pipi. Tentei fazer enquanto estava deitado, mas a natureza não ajudou. Finalmente fiquei de joelhos e então, com as barras do teto do berço encostando no topo da minha cabeça (me lembrando que eu estava preso), conseguí deixar sair o xixí quentinho na minha fralda. Foi a coisa mais extraordinária que eu já havia sentido e delirei de prazer.
Quando havia terminado eu me deitei novamente e sentí o xixi se espalhar pela fralda. Me lembro de ter olhado pelas grades e pensado que eu TINHA que molhar minhas fraldas. Eu NÃO TINHA OUTRA ESCOLHA. Não era muito diferente de estar amarrado, e o sentimento de estar indefeso era muito forte. Não conseguí mais dormir, mas fingí que ainda estava dormindo quando mamãe veio me acordar.
Ela pediu tantas desculpas quando viu que minha fralda estava ensopada. "Você acordou pra fazer pipí?" ela perguntou. "Você me chamou?". Mentí por impulso, pois achei que era melhor. "Ah, mãe.. não. Desculpe. Eu não me lembro de nada. Eu só fui dormir e acordei assim." Ela olhou pra mim de um jeito estranho, e então me mostrou onde eu podia tomar um banho. Aquele dia, na escola, eu não conseguí me concentrar.
Eu estava tão empolgado pra voltar pro hospital que quase esquecí a lição de casa na escola. Quando chegamos no trabalho, a chefe da mamãe disse que não queria que eu usasse minhas roupas normais na "sala do dia". Eu tinha que colocar imediatamente o pijama. Ela acrescentou que eu já devia ser colocado em fraldas na mesma hora. Mamãe se desculpou comigo, mas eu lhe assegurei que estava tudo bem porque daquele jeito eu me sentiria mais como as outras crianças.
Aquilo fez sentido pra ela, e ela pareceu gostar de botar fraldas em mim dalí em diante. Para mim, poder correr pela "sala do dia" usando fraldas espessas, seguramente embrulhadas dentro de uma calça-plástica, a qual deixava tudo quentinho, era o mais próximo do paraíso que eu podía imaginar. Quando chegou a hora de ir pra cama fui direto pro meu berço, e engatinhei lá pra dentro.
Ter uma enfermeira chegando e levantando a lateral do berço era o máximo. Pouco antes de dormir eu fiquei deitado e deixei esvaziar a bexiga. Era maravilhoso ficar alí, na escuridão, e sentir o xixí quente, espalhando-se pelas fraldas. As coisas continuaram assim por boa parte da primeira semana. Mamãe não trabalhava aos finais de semana, e eu ficava triste de ficar sem usar as fraldas de noite enquanto estava em casa.
Foi quando um milagre aconteceu. Eu brincava de lutas com Tony, um dos pacientes na "sala do dia", e caí em cima do meu braço esquerdo forte o bastante para torcê-lo. Não era um machucado muito dolorido, mas eu fingí que era. A enfermeira-chefe, a chefe de mamãe, deu uma olhada e achou que seria melhor se eu dormisse de costas naquela noite, pro caso de eu piorar o machucado se dormisse em cima do braço. Mamãe tinha uma expressão estranha no rosto, mas disse que iria cuidar disso.
Naquela noite, quando mamãe me ajudou a entrar no berço, eu notei a faixa de couro, com duas algemas, também de couro, com um tecido macio costurado por dentro. Tudo aquilo estava preso aos pés do meu colchão. Conforme eu estendí as pernas por cima daquele acessório, percebí para que servia e quase não conseguí disfarçar minha alegria. Mamãe, como sempre, não parava de se desculpar.
"Desculpe ter que fazer isso com você, Jaime, mas eu tenho que prender seus tornozelos com as algemas. Assim você não corre o risco de se virar durante a noite e machucar mais ainda o seu braço. Você entende, não é?" Assegurei-lhe que sim, e fiquei assistindo enquando ela apertava as algemas em meus tornozelos. Com um severo aviso, de não tentar remover as algemas, ela afastou-se e trancou o berço.

Conforme as luzes do quarto diminuíam, eu fiz força contra as amarras, e me deliciava com isso. Como eu já havia passado 4 noites de fraldas, eu já havia aprendido como relaxar a deixar o pipi sair enquanto estava deitado, então comemorei minha nova alegria com uma bela ensopada nas fraldas. Eu estava tão empolgado que levei várias horas pra pegar no sono.
O dia seguinte foi o primeiro sábado que eu passava no hospital. Descobrí que nos finais de semana a rotina era diferente. Muito após nosso horário de acordar, a enfermaria ainda estava às escuras e muito silenciosa. Quando as enfermeiras vieram, mamãe não estava entre elas, mas me explicaram que ela chegaria um pouco mais tarde. Eu não havia tentado tirar as algemas, é claro. Mas foi uma sensação maravilhosa poder ficar livre novamente.
Mais ou menos metade das crianças puderam tirar as fraldas e vestir seus pijamas. O resto, eu incluso, foram trocados com fraldas diurnas, mais leves, e um par limpo de calças plásticas. Eu reclamei um pouco naquela hora, então a enfermeira apontou pro meu braço - imobilizado numa tipóia - e perguntou como eu achava que conseguiria ir ao banheiro daquela forma.
Tudo que conseguí fazer foi sorrir com alegria enquanto me dirigía até a "sala do dia" pra tomar café da manhã, com as calças-plásticas estalando bem alto enquanto o bolo de fraldas me fazia andar meio rebolando igual um patinho. Meu sonho havia se tornado realidade! 

Fim


Ufa! Acabou! EHhEHHEHhe... Fiquei muito contente que vocês gostaram. Quem aqui não adoraria passar uma semana inteira como o Jaime? ^_^



terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Muzzle and Leather Mitts

Natal começou cedo aqui, bebês (Graças ao meu amigo/irmão HiroRJBR)! Olha que legal o que eu encomendei hoje! Para os bebês que falam demais, nada melhor do que uma muzzle! E essa ainda vem com colar! Perfeito né?
E pra completar, luvinhas de couro para os bebês que insistem em ficar agarrando as coisas, ou mesmo tentando se desamarrar.. ehheheh
Se juntar os dois, além de prender as perninhas, vocês vão ter um bebê muito bonitinho e comportado! ^_^
Meu bebê não gostou muito.. KKKK! Mas ele sabe que é pro seu próprio bem. :)




Ahhh! E um assunto aleatório: Minha camiseta chegou! ehehhehe.. Demais, né? Arte minha mesmo. Aliás, quem quiser contratar um Designer Gráfico, entre em contato! (Pronto, vendí meu peixe. Rss.. Um Tubarãozinho vendendo peixe! XD)




segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Bondage entre amigos

É sempre tão bom receber visitas de velhos amigos! Eu fico muito feliz! Esse é o Hiro! Eu até pediria pra ele dizer um "oi" pra vocês, mas no momento não dá! ^^
E novamente: Não adianta ficar assanhadinhos. Tudo completamente profissional, não rolou nada além da amarração. Sou comprometido, amo meu namorado e pretendo continuar assim. :)








sábado, 15 de dezembro de 2012

[Vídeo] Mais recente documentário ABDL - Excelente

Bebês, bebês! O M E L H O R documentário sobre Adult Babies que eu já ví em toda a minha pequenina existência! Aprendí tanto com ele! Ví tantas coisas fofinhas! E sinceramente fiquei com vontade de montar um berçário comunitário para ABDLs no Brasil. Se já existem 12 só na Inglaterra, por quê não aqui? Massss... Ainda não sei se esse sonho "vinga" em terras brazucas. Provavelmente ainda tem muito chão pela frente. Só eu e meu namorado não somos o bastante pra alavancar as coisas, mas se algum rico bebê investidor aparecer, quem sabe?
O que me impressionou é que essa bebezinha aí embaixo organiza festas pra até 20-25 ABs! Eu até entendo porquê o Daddy dela fica desconfortável com esses play-parties.. Eu ficaria também. Os leitores de mais experiência que estejam lendo isto sabem do que eu falo. Eles podem brincar de faz de conta e se chamarem de irmãozinhos e amiguinhos o quanto quiserem, mas proximidade física desperta instintos, e eu não gostaria de ver minha namorada de pulos e abraços com outro cara.  
O mais incrível é que a casa fica lotada! Inclusive com nossos amados sissies! Entenderam agora por quê eu fico tão puto de vez em quando? Aqui a gente praticamente se mata e implora pra no final aparecerem 3 gatos pingados. Se eu fosse uma ruivinha gostosa ae vocês vinham, né?
Claro que a bronca é só pros bebezinhos que se escondem. ^_^

Que lindinha essa baby. Vontade de apertar!

O áudio está um pouquiiiinho baixo, mas mesmo assim está bom pra assistir! Espero que vocês gostem tanto quanto eu gostei. Confesso que ainda estou vomitando arco-íris e arrotando raios de sol.

video


video


video


video




sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Preguiça na hora de alimentar o bebê?


KKKK! Bebês! Eu TINHA que compartilhar isso... Agora pros papais e mamães que tem preguiça de alimentar seus filhinhos, ae está a solução! Vou encher o do meu bebê com Ovomaltine! Já que ele fica amarrado a maior parte do tempo, na verdade essa invenção é extremamente útil!

Ah! Quanto ao encontro... Já que parece que não vai rolar, fica pra próxima, tá? Na verdade poderia acontecer nessa Segunda-feira (17/12) à noite também, porque receberei a visita de um amigo Master Bondager. Um dos melhores do Brasil de fato. Ele não curte infantilismo, mas acha fofo! E antes que vocês fiquem assanhadinhos, não vai rolar nada. Apenas drinks e pizza. O bom e velho papo de bar entre adultos. :)

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Jogando fora as fraldas - Encontro relâmpago?!

Oi, bebês! Muitos de vocês já sabem o jeito certo de fazer isso. Pros bebês que moram sozinhos, fica fácil! Basta enrolar, juntar as abas e botar no lixo! Sem problema algum de ter medo se os pais vão ver. Mas e pra quem não mora sozinho? 0_0 Como fazer?
Aqui como eu mesmo boto o lixo pra fora, eu junto o saco das fraldinhas e boto na rua. Sem stress.  Eu queria saber como os bebês que moram com parentes/amigos fazem. Como vocês escondem? Vamos trocar informações! ^_^

Bomba de fraldas*


Essa é pros bebezinhos que gostam de trollar seus vizinhos e amigos!  Vocês vão precisar de uma fralda bem cheia! Assim como esta que eu usei ontem. Façam um embrulho com fita, que é pra ficar fácil de arremessar.
Feito o embrulho, escolha o alvo! Pode ser a lixeira do outro lado da rua, pode ser o quintal daquele vizinho @#$% que vive te incomodando. Escolha livre.


Escolheu o alvo? Oba! 
Preparar... Mirar... FOGOOO!! ZUUUMMMM! Lá vai ela!
HheEHhHE... Ela explodiu quando caiu! XD



*O autor não se responsabiliza por eventuais danos causados por essa prática. Não tentem isso em casa. Respeitem os outros.


Encontro-Relâmpago!

Pois é, bebês! Que tal? Eu queria fazer um encontro pré-natal. Porque depois, só ano que vem mesmo! E com o apocalipse zumbí chegando, essa pode ser nossa última chance!
É em cima da hora, eu sei... Mas esse fim de semana eu estarei em SP, se algum bebê das redondezas topar uma cervejinha, entre em contato! Marcamos no sábado, dia 15,  perto de algum metrô que é pra ficar fácil.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

[Vídeo] Castigando a bebezinha

Vídeo muito bom, bebês! Só é pena que é tão difícil achar bons vídeos com bebês meninos, principalmente se entra bondage na estória. Mas mesmo assim este ficou legal! Prinncipalmente porque é girl-on-girl action.

Ah! Como é ligeiramente erótico, se você é menor de idade por favor volte quando tiver 18 anos. 



video

Aproveitando o embalo: Dica para os dominadores(as) de plantão: Poucas posições oferecem mais dificuldade de sair quanto a fetal. Claro que tem o hogtie também, mas este já é tão popular que de vez em quando é bom variar.



terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Presente de natal

Oi, bebês! Visitei o Lukas Baby fim de semana passado, e ele me deu estas e muitas outras fraldinhas! Não coloquei tudo na foto porque não cabia.. rs.
A casa de um infantilista é algo muito legal! Ele me mostrou a coleção de onesies, pijaminhas e calças plásticas dele. Coisa mais guti-guti! Tomamos café juntos, conversamos bastante e demos risada contando coisas do cotidiano. Ficamos imaginando o que pensa a costureira que faz as coisas pra ele... Mas é aquele negócio: Quem não chora, não mama! O importante é nos divertir-mos! A minha costureira quando eu mandei arrumar a sola do meu pijaminha também me olhou como se eu fosse meio maluquinho..rs
Às vezes eu fico pensando do porquê ser tão difícil de se encontrar outros infantilistas ao vivo. Principalmente em SP, onde existem dezenas de nós. Se as pessoas soubessem o bem que faz quando a gente conversa frente a frente com alguém que curte as mesmas coisas, era capaz dos encontros serem mensais. Nesse ponto o RJ está milênios mais avançado.
Ah! Pra descontrair: Uma coisa engraçada que aconteceu comigo ontem: Era bem cedinho, tipo 6 da manhã. Eu saí no quintal só de fraldas, porque tinha que regar as plantas. Até aí tudo bem... Sóóóóó depois que eu me lembrei que meu amado vizinho instalou uma câmera na casa dele, e que esta câmera pega uma parte do meu quintal. SHIT! Bem.. agora já foi, né? KKKK! Eu ja mostrei meu rosto em tantos lugares que chega um momento que a gente perde o medo.


segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Maxcita restraints! BEST!

Maxcita! Minha marca preferida de sleepsacks, straitjackets, exosuits e outras formas de restraints! Junto com Mr. S. Leather, é o caviar dos bondagistas! Imaginem assim: É o melhor que o dinheiro pode comprar.

video

Meu sonho de consumo. Se um dia você quiser me dar um presente de natal, é este!
If you ever wanna gimme a Christmas gift, this is the one. ^_^
http://www.maxcita.com/cottonbb_psychoHD.html

Mas se estiver se sentindo mais generoso, este de baixo me faz vomitar arco-íris!


http://www.maxcita.com/cotton_exosuit.html

Merry Christmas, Sharky!

domingo, 9 de dezembro de 2012

Colocando as fraldas

Alololo bebês! Assunto de fraldas. Específicamente como colocá-las!
Eu geralmente coloco as fraldas de pé mesmo porque não é sempre que vou direto pra cama, e gosto de ficar andando pela casa. Porém, fazem dois dias que eu vestí a fraldinha na posição deitado.
Dizem que a prática faz a perfeição, né? Pois então eu digo que cheguei 99,8% da perfeição! Êêêê!!  Nunca conseguí um encaixe tão bom colocando elas de pé. Foi uma experiência muito valiosa. :)
Lendo a respeito, ví que ao colocar a fralda deitado o peso do corpo ajuda na hora de prender as fitas adesivas de modo com que ela fique mais justa, mais encaixada. Isso é ótimo! A sensação é basicamente como usar uma cueca confortável e volumosa. Conforme você anda, corre, ou se mexe na cama, é possível sentir que os contornos estão devidamente encaixados. Ainda passei a mão por dentro e sentí direitinho o elástico protegendo todas as áreas críticas.
No geral, todos nós temos nosso próprio método de botar a fralda, que pode variar de acordo com a situação e com a marca usada. Com o tempo todos nós acabamos criando nossas próprias técnicas. Claro que precisa de prática, prática, prática e mais um pouco de prática. Mas quando você perceber, já terá se tornado uma máquina de botar fraldas!
Para mim agora é: Colocar deitado sempre que possível, mas se estiver num lugar onde isso não seja uma opção, então ae sim usar o método em pé.
Dicas? Dúvidas? Comentem!



sábado, 8 de dezembro de 2012

Coo Chi Coo! Revista ABDL online!

Nossa que legal! Vários volumes, todos online, de graça em PDF! Perfeito pro bebezinho ficar antenado no que acontece no mundo ABDL worldwide! Com fotos, entrevistas, contos, propaganda de lojas ABDL, sites especizados... Tudo e mais um pouco! Eles também publicam cartas de leitores, ou seja: igualzinho a uma revista..heheheh
Me dêem um feedback e digam o que acham.




Link direto para as edições da revista:

http://www.babyjunior.co.uk/coochicoo/index.php

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Dr. Phil - ABDL

A maioria de vcs já devem ter assistido isso, né? Gomen neh, bebês! Não tenho versão traduzida.. Sorry.

Uma reportagem assim aqui no Brasil seria fantástico.. Mas do jeito que brasileiro é babaca e não aceita nada diferente de futebol e cerveja, correríamos o risco de sermos apedrejados em praça pública, violentados por jumentos zumbís e exorcizados na igreja do padre assassino.

Minha opinião? Pegaram o AB errado pra botar na reportagem. Ele é egoísta, imaturo. Não pensa na companheira e ainda acha que está tudo bem. Não está. A maneira dele praticar o infantilismo prejudica a ele e às pessoas  mais próximas. Seus pais com certeza estão desapontados. Os pais da namorada muito mais. Os amigos dela, os amigos dele. O infantilismo só é saudável quando não prejudica sua vida social e financeira. A financeira blz, ele trampa e tudo mais, mas a social prejudicou e muito. A dele, a dela. Ela pode nunca ser mãe porque o cara não tem desejo sexual. E se por um milagre ela for, ele mesmo admitiu que sentiria ciúmes do próprio filho. Imagina o nó que ia dar na cabeça da criança crescendo e vendo o pai tomando mamadeira. 
O Tio Phil falou certo.. "man-up". Não existe isso de um adulto se desligar completamente de suas obrigações de adulto. NÃO EXISTE. O que a gente faz é adaptar nossa vida ao fetiche, basicamente separando a fantasia da realidade: Pra tudo tem hora. Tem gente que ainda se engana e ignora algo que deveria ser óbvio. 
A entrevista com o/a Riley Kilo foi KILÔMETROS mais produtiva, mas essa entrevista agora acaba prejudicando a comunidade toda porque o povão acaba achando que somos todos assim. 









quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Bondage Vídeos [2]

Mais dois e prometo que mudo de assunto.



Bondage Videos

Que divertido ser sequestrado, né bebês? HehhEHHEhe... Adoro mordaças brancas. Fica bonito!
O sequestrador foi bonzinho até... Eu teria sido mais sádico. A pressão psicológica conta muito nessa hora. Quanto mais assustada a vítima, maior o tesão da brincadeira.


Esse é um estilo de amarrar tão fofinho! Eu chamo de ball-tie. Perfeito pra você fazer com o seu baby. Ele vai ficar igual uma bolinha, se mexendo pra lá e pra cá. É bem frustrante pra quem tá amarrado porque reduz bastante a mobilidade, mas é incômodo. Ou seja: Não deixe o bebê dormir assim, senão ele vai acordar dolorido. Pra algumas horas.. Tudo bem! Se tiver disponível um saco pra botar ele, fica uma foto linda pra tirar do lado da árvore de natal.
Outra dica: Pra judiar, use vibradores no piupiu e um belo dildo/vibrador no buraquinho. Palmadas no bumbum também valem.

Ps. Um abraço especial pra Dudu, Rafa, Ronan e John Winchester(tá sumido, hein malandro??), que gostam muito de vídeos assim. :))

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Bigfral Noturna

Ufa... Foi uma noite bem molhada! kkkkk! Comprei esse pacote de Bigfral  Noturna (Quase 20 reais na Droga Raia, não comprem nada lá. São mercenários)  porque.. Sei lá.. Eu estava meio nostálgico, já que foi a primeira marca de fralda que usei. Mas nunca havia usado a noturna, apenas a normal. Acho que chamam de Plus. Lembro de ter precisado botar o colchão no sol porque elas tiveram um vazamento powerful. LoL
As Bigfral continuam as mesmas. São BIG! Essas tamanho G parecem mais EG! Sobrou bastante material, acho que no formato das Bigfral, sou M. Mas já que sempre gostei de roupas maiores do que eu, até que ficou fofinho, e encaixou bem na virilha.
Eu não queria nem saber. Queria uma noite molhada. Literalmente molhada. Ainda tomei um copão cheio de chá antes de deitar. Adoro fazer pipi na fralda, mais de uma vez. A sensação do calorzinho no meio das pernas, combinado com a adrenalina de "será que vai vazar?" E andar com aquele peso balançando e fazendo tchec tchec tchec. Demais! ^_^


Fotos novas

Fiz essas fotos ontem! Era uma idéia que eu tinha na cabeça faz algum tempo. Ví alguns bebês no Fetlife e no RUpadded com fotos assim: Você cria um "espaço fofinho" e tira algumas fotos em poses de bebê.
Fica "ligeiramente" gay... Mas mesmo assim achei legal! XD
Essas toalhas de tubarão eu comprei lá em Santa Catarina. Boa compra!





terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Esfriando namoro?

Eu falei com o meu bebê esses dias e chegamos à conclusão de que estamos "esfriando" a nossa vida bondagística...Isso é inadmissível! Afinal, é uma das coisas que mais gostamos de fazer! E já faz um tempão que não fazemos nem ao menos um videozinho novo... *suspiro...
Em nossa defesa, eu digo que temos nos esforçado (e feito ótimos progressos) em outras áreas do nosso relacionamento. Evoluindo na convivência, inclusive fazendo programas bem estilo família; ir ao supermercado, assistir filmes juntos, fazer planos para o futuro, comprar roupas, arrumar o jardim, cuidar dos animais de estimação.. Coisas que basicamente um casal recém-casado faz. Eu fico feliz que o nosso relacionamento não fica apenas na parte física. A gente se diverte, conversa, se abraça, se ama. ^_^ Agora só falta um filho (KKKK!). Mas isso a gente compra depois pela Amazon.com.
Mas claro que não é desculpa pra deixar de se divertir no lado "kinky", não é mesmo? Este último fim de semana nós brincamos um tiquinho.


 Olha que gracinha o meu baby vendo TV. Ele estava tão levado que precisou ficar amarrado! Mas eu fui bem gentil e não amarrei muito forte, só o suficiente pra ele não ficar correndo pela casa. E não... eu não tinha mais fraldas... Senão teria colocado. Fica pra próxima.


Essa é uma posição boa pra dormir, e ele não tem como ficar de pé porque eu travei as perninhas dobradas. Na hora que eu torturei com cócegas, ele se agitou tanto que tentou esticar as pernas de repente e até gritou de dor, tadinho. Com essa amarração, se o bebê ficar quieto, não dói. Mas se tentar alguma coisa, as cordas entram em ação!
Eu quero fazer mais umas fotos fofinhas depois.. Não muito hardcore. Mais no estilo de "bebê gracinha". Depois eu posto pra vocês os resultados.

Fraldas TENA

Adotarei como marca predileta! Excelente qualidade de absorção. (não estou ganhando comissão pela propaganda)


Peçam sua amostra grátis aqui:

Eu já pedí a minha amostra. Vou fazer o básico que todo bebezão faz: Beber 1.5lt de água e ir dormir. Se em 10 horas não vazar nada, eu dou o Selo Tubarão de Qualidade.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Infantilismo e BDSM - Nível Master


Oi, bebês! Este é um post MUITO bom! Me deparei com um tópico sobre infantilismo no Fetlife e fiquei assim:
<<<<<---------




O trecho abaixo é de autoria da Lady_Eve . Isso sim é mommy, não esses protótipos que a gente vê porae (#prontofalei). Ela realmente manja muito! Adorei a ênfase no BDSM. O/a bebezinho que tiver ela como mamãe... Está feito! É o baby-heaven. ^_^
Dêem suas opiniões. Esse é o tipo de tópico que eu adoraria discutir tomando uma cervejinha, rodeado de amigos bebês.




AGEPLAY (Infantilismo)
Conceito
Ageplay é um tipo de ROLEPLAY BDSM que consiste basicamente em portar-se como tendo outra idade biológica. A prática consegue criar um cenário de forma a re-inventar o ambiente da outra idade - geralmente o infantil, podendo também ser o adolescente - e é dividido em: ageplay sexual e ageplay não sexual.
Os personagens do ageplay costumam ser:
1. Para o bottom: filho ou filha, sobrinho ou sobrinha, enteado ou enteada.
2. Para o TOP: Papai ou mamãe, titia ou titio, madastra ou padrasto.
Ageplay sexual:
Diferente do que muitos possam pensar, o ageplay sexual não tem NADA haver com pedofilia ou atração por pessoas menores de idade. Ao contrário disso, gosto de pensar que TODOS praticantes de ageplay tem pavor a tais práticas.
O ageplay sexual consiste no ageplay que dá espaço para práticas como: Rape play, incest play e o famoso e pouco estudado consensual non-consented.
Ageplay não-sexual:
Segue o mesmo conceito, mas não envolve práticas sexuais. O gol desta prática é criar um núcleo familiar falso para reviver cenas infantis.
Mitos e verdades:
Mitos
1. Ageplay envolve crianças de verdade.
2. Ageplay serve apenas como humilhação.
3. Esta prática impossibilita outras práticas BDSM
4. É impossível fazer uma masoquista gostar de ageplay
5. Não dá para viver 24-7 com ageplay.
Verdades
1. O bottom realmente age como criança.
2. O ageplay serve como treinamento para o BDSM no geral.
3. É possível introduzir qualquer prática BDSM iniciando com o ageplay
4. O ageplay pode ajudar a superar limites, traumas e dar espaço para mais diversão.
5. O Dominador tem muito mais controle sobre sua submissa.
Tipos reais de ageplay:
1. ABDL - É o famoso infantilismo que conta com fraldas, mamadeiras e coisas de bebê no geral. Nesta prática o submisso finge ter uma idade entre 0 e 4 anos.
Curiosidade: Estima-se que 99% dos praticantes de ABDL sejam homens.
2.Criança: Nesta fase as coisas ficam mais interessantes. O submisso finge ter de 5 até 10 anos. Esta pratica conta com cenas como: corner time (o famoso castigo no cantinho), quadrinhos de comportamento (parecidos com o da Supernanny), spankings OTK e muito mais.
Curiosidade: Há mais mulheres submissas que homens nesta prática e estima-se que a maioria destes relacionamentos sejam non-sexual ou apenas eróticos.
3.Adolescentes: Torna-se mais sexual, já que o submisso tem entre 11 e 18 anos. Nesta fase é importante trabalhar o controle de comportamento, disciplina e brincar com a fase escolar que costuma ser caótica! Cabem todos os cenários de criança, só que costuma ser mais "Estressante" ter um adolescente.
Curiosidade: Estima-se que quase todos praticantes submissos desta prática sejam mulheres.
Porque praticar ageplay:
Há muitas controvérsias sobre o ageplay e muitos porquês não respondidos ainda. A psicologia ainda não compreende ao certo o ageplay, mas sabe-se que esta prática - talvez como qualquer outra - pode ser uma benção ou uma maldição. Algumas pessoas dizem que os praticantes de ageplay praticam isso porque suas infâncias foram ruins e eles querem reconstruir isto, bom, em parte, poderia até concordar, mas existem muitos práticantes que alegam ter tido uma infância maravilhosa. O que não tira o mérito do ageplay como forma de viver uma "infância" mais divertida.
Sabe-se que o ageplay, no entanto, pode sim sim ajudar no desenvolvimento de qualquer relacionamento BDSM. Em muitos países e grupos o ageplay é usado como prática inicial para perda de controle, treinamento para bom comportamento e disciplina e inserção de práticas BDSM no geral. Por exemplo, inserir o spanking com o ageplay parece muito mais agradável, já que o ageplay porporciona um cenário para esta prática (afinal de contas que graça teria ter uma "criança" e ela não apanhar?). Ter um cenário é muito mais interessante do que uma cena avulsa!
Alguns dizem que o ageplay nem é parte do BDSM, e, discordo, cordas, se friamente analisadas, também não seriam BDSM, mas, dentro de um contexto, o bondage é totalmente BDSMer!
Diria que principalmente o controle passa a ser foco de treinamento. Para práticar ageplay, o submisso precisa, necessariamente, abrir mão do controle, e o Dominante, precisa passar a controlar mais. E, é verdade, o controle é bem mais intenso que nas relações Ds tradicionais.
Concluindo, acredito (eu e muitas outras pessoas) que esta é uma prática que pode valer a pena se adaptada à sua realidade BDSM e tratada como uma prática séria e que pode aproximar e tornar a relação bem mais intensa.